Psicología desde el Caribe, Vol 38 No 1: Enero - abril 2021

Tamaño de la letra:  Pequeña  Mediana  Grande

Concepções psicossociais da velhice LGBT entre universitários brasileiros

Karolyna Pessoa Teixeira Carlos, Ludgleydson Fernandes de Araújo, José Victor de Oliveira Santos, Lidiane Silva de Araújo

Resumen


: O presente estudo teve como escopo verificar e comparar as representações sociais de três grupos de estudantes universitários dos cursos de direito, psicologia e pedagogia acerca do envelhecimento LGBT. A amostra foi composta por 300 estudantes universitários uma IES privada. Foi usada a Técnica de Associação Livre de Palavras (TALP), utilizando-se o método de análise fatorial de correspondência – AFC, através do software Tri Deux Mots. Como resultados observou-se que emergiram representações em dois pólos antagônicos: por um lado, o direito que cada indivíduo tem em fazer suas escolhas sexuais independente da fase da vida que se encontram, por outro lado, o preconceito sofrido pelos LGBTs, agravando-se quando trata-se de pessoas idosas. Espera-se contribuir para o desenvolvimento da temática, ainda pouco estudada e divulgada, para que assim haja uma maior compreensão dos novos arranjos da sociedade contemporânea.


Palabras Clave / Keywords

Velhice, Universitários, Velhice LGBT, Sexualidade, Representações Sociais.

Tipo de Artículo

Artículo de investigación científica y tecnológica

Citas


Referências

Jodelet, D. (2001). Representações sociais: um domínio em expansão. As representações sociais, 17-44.
Ceará, A. D. T., & Dalgalarrondo, P. (2010). Transtornos mentais, qualidade de vida e identidade em homossexuais na maturidade e velhice. Revista de Psiquiatria Clínica, 37(3), 118-123. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-6083201000030000
Moscovici, S. (2007). Representações Sociais: investigações em Psicologia Social. Petrópolis: Vozes.
Brasil. Conselho Nacional de Saúde. (2012). Resolução nº 466 de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Recuperado de: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf
Brasil. Ministério da Saúde. (2013) Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Ministério da Saúde: Brasília-DF. Recuperado de: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_saude_lesbicas_gays.pdf
Brasil. Conselho Nacional de Saúde. (2016). Resolução nº 510 de 7 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Recuperado de: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf
Mello, L., Perilo, M., Braz, C. A., Pedrosa, C. (2011). Políticas de saúde para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no Brasil: em busca de universalidade, integralidade e equidade. Sexualidad, Salud y Sociedad-Revista Latinoamericana, (9), 7-28. Doi: https://doi.org/10.1590/S1984-64872011000400002
Souza, M. B. C. A., & Helal, D. H. (2016). Política nacional de saúde integral de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais: análise descritiva e utilização de dados secundários para pesquisa e prática. Bagoas-Estudos gays: gêneros e sexualidades, 9(13). Recuperado de: https://periodicos.ufrn.br/bagoas/issue/view/549
Marques, F. D., & Sousa, L. (2016). Portuguese Older Gay Men: Pathwaysto Family Integrity. Paidéia (Ribeirão Preto), 26(64), 149-159. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1982-43272664201602
Neri, A. L. (2014). Palavras-chave em gerontologia. Alínea.
Ferreira, C. L., Santos, L. M. O., & Maia, E. M. C. (2012). Resiliência em idosos atendidos na Rede de Atenção Básica de Saúde em município do nordeste brasileiro. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 46(2), 328-334. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000200009
Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. (2015). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: síntese de indicadores 2014. Rio de Janeiro: IBGE.
Silva, H. S. & Araújo, L. F. (2020). Velhice LGBT: apresentação de um panorama de estudos nacionais e internacionais. In: L. F. Araújo; H. S. Silva. (Org.). Envelhecimento e Velhice LGBT: práticas e perspectivas biopsicossociais (pp. 15-43). 1ed. Campinas-SP: Editora Alínea.
Leal, M. D. G. S., & de Oliveira Mendes, M. R. (2017). A Geração duplamente silenciosa-velhice e homossexualidade. Revista Portal de Divulgação, (51). Recuperado de: https://revistalongeviver.com.br/index.php/revistaportal/article/viewFile/642/710
Vieira, K. F. L., Miranda, R. S., & Coutinho, M. P. L. (2012). Sexualidade na Velhice: Um Estudo de Representações Sociais. Psicologia e Saber Social, 1, 120-128. Doi: https://doi.org/10.12957/psi.saber.soc.2012.3250
Solise, V. O., & de Medeiros, M. P. (2016). Sexualidade na Velhice. Disciplinarum Scientia| Saúde, 3(1), 165-180. Recuperado de: https://periodicos.ufn.edu.br/index.php/disciplinarumS/article/view/864
Araújo, L. F., Fernandéz-Rouco, N. (2016). Idosos LGBT: Fatores de Risco e Proteção. In: D. V. S., Falcão; L. F. Araújo; J. S. Pedroso. (Orgs). Velhices: Temas Emergentes nos Contextos Sociofamiliar, de Saúde Mental, Cuidado e Violência. 1ed. (pp. 22-32) Campinas-SP: Editora Alínea. 1, p. 22-32.
Fernandéz-Rouco, N.; Fernandéz-Fuertes, A. A. & Araújo, L. F. (2020). Sexualidades, géneros e interseccionalidad en las personas mayores. In: L. F. Araújo; H. S. Silva. (Org.). Envelhecimento e Velhice LGBT: práticas e perspectivas biopsicossociais (pp. 197-208). 1ed. Campinas-SP: Editora Alínea.
Passamani, G. R. (2013). Velhice, homossexualidades e memória: notas de campo no Pantanal sul-matogrossense. In Seminário Internacional Fazendo Gênero 10 (Anais Eletrônicos), Florianópolis, 2013. ISSN: 2179-510x Recuperado de: http://www.fg2013.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/20/1385755670_ARQUIVO_GuilhermeRPassamani.pdf
Santos, J. V. O.; Carlos, K. P. T.; Araújo, L. F. & Negreiros, F. (2017). Compreendendo a velhice LGBT: uma revisão da literatura. In: L. F. Araújo; C. M. R. G. Carvalho. (Org.). Envelhecimento e Práticas Gerontológicas (pp. 81-96). 1ed. Curitiba-PR/Teresina-PI: Editora CRV/EDUFPI.
Coutinho, M. P. L. & Saraiva, E. R. A. (2011). Métodos de Pesquisas em Psicologia Social: perspectivas qualitativas e quantitativas. João Pessoa, PB: Editora Universitária.
Dinis, N. F. & Calvalcanti, R. F. (2008). Discursos sobre homossexualidade e gênero na formação em pedagogia. Pro-posições, 19(2), 99-109. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73072008000200008
Meyer, E. D. Gênero e Educação: teoria e política. (2003) In: L. G. Louro.; F. J. Neckel; V. S. Goellner. (Orgs). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Editora Vozes.
Fredriksen-Goldsen, K. I., Hoy-Ellis, C. P., Muraco, A., Goldsen, J., & Kim, H. J. (2015). The health and well-being of LGBT older adults: disparities, risks, and resilience across the life course. Em N. A. Orel & C. A. Fruhauf (Orgs.), The lives of LGBT older adults: Understanding challenges and resilience (pp. 25-54). Washington,


Texto completo: PDF

Refbacks

  • No hay Refbacks actualmente.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.